Quanto custa viajar pelos Estados Unidos?

E aí, que tal mais umas dicas bem legais sobre os Estados Unidos? Bom, como nós passamos 3 meses aqui, vimos o que custa caro e barato em uma forma geral, e que vem a valer a pena em um ritmo de gasto diário envolvendo planejamento sem ter que abdicar de um bom proveito da viagem.

Então, vamos falar de viagem! 😀 No fim das contas, nós sabemos que eu sempre venho pra falar de viagem, né?! Fazer o quê, eu amo esse mundo de viajante e também amo dar dicas e macetes também porque assim eu facilito a vida de quem lê e quer ter uma ideia do que fazer.

Bom, sem mais papo furado, vamos ao que interessa. Quanto custa viajar pelos Estados Unidos? É a pergunta que não quer calar pra muita gente.

Na real, essa é uma questão que não dá pra responder com exatidão pois vai depender de vááaaarios fatores, mas é possível ter uma noção e se é possível. É aí que eu entro.

Na verdade, eu não, nós, pois o gasto foi de uma família onde somos 4, Ella, Noam, Bruno e eu.

Viajar pelos Estados Unidos ou qualquer outro país onde a moeda seja o Dólar ou o Euro não é lá muito barato mas não é nada impossível. Não adianta correr, a querida América não vai sair do lugar, e com um bom planejamento é possível fazer mais do que o esperado.

Detalhar os roteiros é importantíssimo! Se for possível, reserve TUDO o que der pra reservar aqui mesmo do Brasil ainda, uma vez muita coisa reservada nós não vamos perder tempo e nem vamos ter dor de cabeça com isso. É claro que quando nós viajamos para o exterior pra conhecer, nós também fazemos umas compras. Então é importante priorizar o que for importante pra que não ultrapassemos os nossos gastos.

Ao fazer uma viagem, é muito importante buscar o máximo de informações sobre o lugar pra onde vamos, principalmente saber informações sobre os custos, pois nunca é demais. Então bora lá  checar algumas dicas muito importantes…

Planejamento

Isso é algo que foi muito importante pra nós, pois é vital mesmo! Escreva ela em todos os cômodos da sua casa, escreve na testa, sei lá, mas escrever em modo de dizer, pois você deve sim planejar muito bem.

Nós, planejamos sim, muito bem, sabendo que vamos viajar, e até quando a viagem é repentina, fazemos planejamentos rápidos pra que não ultrapassemos do limite de gastos que temos.

Isso é o começo de tudo. É super importante fazer uma planilha, ou até mesmo anotar em um caderno, o que for melhor pra mantermos controle e acompanharmos bem no que estamos gastando.

Decidir para quais lugares dos Estados Unidos nós desejamos ir é muito importante. Definir quanto tempo nós vamos ficar, sabendo que menos tempo = menos dinheiro e mais tempo = mais dinheiro.

Pesquisar sobre os custos de vida sobre esses lugares específicos também, pois é o que eu faço sempre, pra conseguir o melhor pelo melhor preço.

Traçar rotas entre os lugares, se a viagem for de carro, trem, avião…

Nós pesquisamos sempre lugares baratos para dormir e comer e fazemos cálculos de quanto nós podemos gastar, às vezes é melhor conhecer menos lugares e aproveitar mais do que ir para vários lugares correndo com o orçamento apertado. Além do que vamos gastar lá, NÃO PODEMOS ESQUECER que ainda temos que arcar com as passagens de ida e volta, o visto de turista e um seguro saúde.

Daí vocês me perguntam: “Mas se eu quiser ir sem o seguro, eu não posso? É obrigatório? Se eu ficar doente não é problema meu? Eu compro um remedinho na farmácia e acabou o problema…”

Aí eu vou responder: Gente! Nós não podemos ir sem um seguro saúde. Pode até ser com o mais barato e básico possível, contanto que tenhamos um. Se já tivermos algum probleminha na viagem, já tem onde procurar.

NÃO EXISTE saúde pública (quero dizer de graça, tipo o SUS aqui) nos EUA. E saúde lá é uma coisa quase impagável caso a gente não tenha seguro. É caríssimo (falando formalmente) e o olho da cara (falando informalmente). Além do mais, se a gente não tiver um seguro nossas chances de entrar no país serão de 1% porque a imigração provavelmente não vai deixar a gente entrar e ninguém quer isso, né non?! Depois de todo o trabalho que a pessoa já teve para chegar até alí.

Ok, moving on…

Checar o valor do dólar

Agora, PELAMOORRR, não dorme no ponto não. Isso é muuito importante! É preciso checar o valor do dólar diariamente a partir do momento que a gente decide fazer uma viagem.

Há inúmeros sites e aplicativos pra checar o valor, como o xe.com, oanda.com e até o yahoo currency converter.

Infelizmente (ou felizmente em alguns casos) o valor alto do dólar atrapalha bastante. O valor do dólar hoje está em R$ 3,29; ou seja, 1 dólar = R$ 3,29; 100 dólares = R$ 329,00. Esse valor pode aumentar (sim!) ou cair diariamente, nunca se sabe.

Um fato é que a gente deve ter em mente que devemos juntar no mínimo 3 vezes mais do que esperava. Na verdade, melhor juntar 4 vezes mais do que o esperado porque não é legal ir para outro país com dinheiro contado, a gente nunca sabe quando pode precisar caso alguma coisa aconteça.

É uma boa levar um cartão internacional para emergências, no mais é mais viável usar o resto em dinheiro vivo.

Nós, seres humanos fracos, temos a tendência de gastar menos com dinheiro vivo nas mãos, porque bate aquela tristeza de ver as notinhas indo embora, num dá? hahaha… Já com cartão a gente acaba passando dos limites e aí só vai doer (só que vai doer igual um tiro no ‘corassaum’) quando a fatura chegar, rs. Carinho, né?!

Pois é, mas calma que eu ainda vou chegar na parte que vale a pena, hahaha.

Viajar de carro, trem ou avião?

Uma coisa que precisa ser muito bem analisada é como a gente vai se locomover durante nossa viagem. Se for pra ficar apenas em 1 estado e explorar ele, é melhor escolher o carro e o trem com certeza. Se você não tem carteira de motorista ainda, eu aconselho tentar tirar aqui antes, é muito comum viajar de carro pelos Estados Unidos (e olha que mesmo quem nunca veio pelas estradas, como o Bruno e eu, conseguimos facilmente pois é tudo sinalizado! Beleza, hein?!), fora que facilitaria muito a vida de qualquer um (mas só faça isso se você se garantir no volante, hein! Já está avisado haha).

Se for pra passar por mais de um estado aí já é melhor calcular o que fica mais barato. Pode ser que não exista trêm (ou busão) para um certo trecho que queremos passar.

Se for uma questão de longa distância é preciso que se calcule o valor do aluguel do carro + o valor da gasolina que será gasto durante todo o percurso.

É muito comum, nessas roadtrips, dirigirmos por (provavelmente) muitas horas (dependendo de quanto tempo nós queiramos ficar no país, isso pode atrapalhar os nossos planos), em compensação podemos ver paisagens incríveis, talvez fazer amigos ao longo do caminho, pode parar a hora que quisermos para tirar umas boas fotos.

A gente pode também pesquisar em quais lugares estão os postos mais baratos e só encher o tanque neles com a quantidade certa até o próximo posto barato. Pronto, depois de pensarmos nas vantagens e desvantagens do carro?! Então tá!

Quanto aos trens foi como eu mencionei mais acima, nem todo lugar vai ter trem disponível, pois alguns trechos só passam trem uma vez por dia (geralmente porque são deslocamentos muito longos). Talvez o ticket vá custar a mesma coisa (ou quase) quanto nós gastaríamos com locação do carro e mais a gasolina.

Podemos ainda passar horas dentro do trem, mas ao menos não vamos dirigir e ainda assim vamos poder ver paisagens lindas.

Ah! Existe também a opção de comprar um cartão mensal do metrô, vai custar pouco mas só vai valer a pena se a gente usar bastante o metrô no tempo da nossa estadia.

Já pensou no trem também? Então bora pro avião…

Ok, passagens de avião costumam custar mais caro pelo ‘conforto’ e o fato de que a gente irá chegar ao nosso destino muito mais rápido. Porém hoje em dia é muito fácil encontrar passagens aéreas low cost, que são passagens mais baratas. No fim das contas o avião é sempre mais rápido e prático. A escolha vai depender de cada pessoa, das necessidades, vontades e do bolso de cada um.

Lugares pra dormir

Para ser sincera, existe um leque de opções de lugares para dormir. Se você não tem problema com falta de luxo como nós e prioriza realmente viajar e conhecer os lugares, você não vai ter muito problema em achar um lugar para dormir.

As opções são variadas: hostel, hotel, motel, couchsurfing e afins. A booking.com e a AirBnB são dois sites de reservas excelentes.

Na booking a quantidade de opções que podemos achar em apenas um local é impressionante e os preços são os mais variados. É possível achar um hotel com a diária baratinha como também hotéis 5 estrelas.

Já o Airbnb tem a vantagem de podermos reservar qualquer tipo de cômodo, seja um quarto, casa, apartamento e etc. As opções também são variadas assim como os preços.

Nós usamos muito o Airbnb, por ser bem seguro, prático e podemos nos sentir mais à vontade em uma casa ou apartamento.

Ah! Se quiser reservar algum lugar bem bacana, aproveita que pelo meu link, vai ter um descontinho! 😉 Procure por aqui!

De qualquer forma, procure sempre reservar com antecedência e leia com atenção a política de cancelamentos. No mais, os sites são muito conhecidos, reconhecidos e confiáveis.

Caso você acabe por ter que procurar um lugar para dormir em cima da hora, vale procurar algum hostel ou até mesmo campings. Quando eu digo campings eu quero dizer um lugar realmente apropriado para acampar.

Não vai me fazer uma cabaninha de lençol no meio da rua só porque ela parece vazia, hein. Olha a vergonha alheia, olho o mico internacional. Rsrs 😀

Os campings não são muito caros, é possível achar uma diária por USD 33 à USD 40. Tem gente que até dorme dentro do próprio carro pra fazer aqueeeela economia. Se eu aconselho? Vai de pessoa para pessoa, acho que se o orçamento estiver MUITO apertado, o sacrifício é válido. Porém tente não fazer isso muitas vezes, dormir dentro do carro não é sinal de uma boa noite de sono e a gente precisa do mínimo de conforto para dormir bem e ter disposição no dia seguinte.

Hora da comida

Outra dúvida que grita nos ouvidos das pessoas que vão viajar é quanto à alimentação: Onde comer, quanto gastar, quanto vamos precisar.

Alimentação é sim uma das coisas mais relativas do mundo. Enquanto uns preferem comer comidas saudáveis, outros preferem comida porcaria e não é pelo fato de ser ridiculamente barato (porque sim, é muito barato, é lindo isso 😍) mas sim porque é da natureza da pessoa mesmo.

Então gente, pensa comigo aqui: você está passando por vários estados diferentes, isso significa culturas diferentes e logo, gastronomias diferentes. Fora que estamos falando de comida, uma das 7 maravilhas do mundo 😏. Então porque não experimentar desde aqueles lanchinhos únicos de rua até comidas mais sofisticadas de restaurantes?!

Se dê ao luxo um pouco, aproveite, sabe lá quando outra oportunidade dessas vai aparecer. Até porque, dinheiro gasto com comida é um dinheiro muito bem gasto hahaha. Sim! Eu posso fazer um post inteiro sobre comida sem cansar.

Comer é a melhor coisa, um chinês, feijão brasileiro, enfim! Se você está triste, você come. Se está feliz, você come pra comemorar. Não tem como errar!

Nós comemos em alguns restaurantes de luxo, de vez em quando, que custam no mínimo 30 dólares por pessoa. Isso, nem tanto luxo assim na verdade, porém um certo requinte.

Há também restaurantes que se come bem por até 20 dólares, mas nada menos do que 15 dólares, e já estaríamos falando de um diner da vida.

Ah! Sem contar a gorjeta (obrigatória, tá!?) Haha

Também tem aquelas comidinhas que você acha nas ruas ou lanchonetes tipo o Burrito.

De origem mexicana mas domina os Estados Unidos. É tipo uma massa fina de tortilha recheada de um tipo de carne e mais um monte de bagulho dentro. Vai na fé e enfia tudo na boca que é gostoso! hahahaha…

Na rua conseguimos encontrar muita comida boa e barata,que pagamos até 10 dólares, e às vezes 5 dólares (claro que isso não foi nenhuma refeição).

E quando o orçamento apertar vá em direção ao junk food. Porque como todo mundo sabe, é muito barato. Pizza, burguers, donuts. E, ah! Quer economizar em bebida nos restaurantes da vida? Peça água pois água é de graça, rsrs.

Caso você esteja fazendo sua viagem de carro, uma outra dica legal é ir ao supermercado e comprar bastante água e suco, e aí bota em um isopor para não esquentar tão rápido.

E falando no supermercado, nós fomos também, e imagina só, enquanto aqui é mais barato comprar lá e fazer em casa do que comer fora, aqui nos EUA é diferente, pois gastamos entre180 e 210 dólares pra comida de 5 dias.

Com esse mesmo valor, dando uns 40 dólares por dia, é mais fácil comer na rua, e não é nenhuma surpresa ver que muitos americanos comem em fast-foods, por exemplo, e por isso encontramos muita gente fora do peso.

Compre também vários biscoitinhos e snacks baratos para comer durante a viagem de carro para enganar a fome e economizar.

Por fim, não se alimente só dessas coisas; não abra mão de uma boa refeição dia sim, dia não. É mais saudável e o nosso corpo agradece.

Mas, lembrar sempre dos gastos, pois nós, em 3 meses gastamos 9000 dólares em comida, o que dá uns 30.000 reais, e isso comendo no mais barato possível, tipo o Cheesecake Factory, Olive Garden e similares.

Passeios & Lazer

Agora é hora de prestar atenção, pois esse assunto é fáaaacil cair em tentação e ir à falência, hahaha.

Como eu já dei a dica no início do post, é importante fazer um planejamento ainda no Brasil, se possível, onde a gente possa calcular um valor específico para essa parte.

Não use dinheiro que foi separado para outros fins, muito menos o dinheiro para casos de emergência (a não ser que a gente esteja no fim da viagem, tipo quase voltando pra casa e quer muito gastar nas tentações dos duty frees do aeroporto. Eu evito isso).

Pois então, existem muitos passeios de graça nos EUA, entradas em parques, museus e afins, eu dei alguns exemplos de Nova York aqui, se quiser dar uma olhada.

Volta e meia tem shows musicais de graça em certos lugares. Fique atento a tudo isso, procure se informar sobre os eventos grátis que estão acontecendo na cidade que você se encontra no momento e tenha em mente também que alguns passeios só são de graça em certos dias da semana e em horários específicos.

Nós curtimos muitas coisas de graça. Infelizmente não fomos a nenhum show gratuito mas se der, não deixe de ir.

É importante também que se tenha um chip com um número dos Estados Unidos assim que se chega lá e comprar um plano de internet durante o tempo de estadia, pois podemos perder muita coisa e se dar mal se ficarmos dependendo só de wifi, fora que a internet é muito mais barata nos Estados Unidos.

Quanto aos prazeres pagos, bom, vai lá e divirta-se; Coma, beba, dance, pule, cante, grite, VIVA. Só não deixa toda essa liberdade fazer você esquecer que você tem um limite de gastos. E digo isso porque aproveitamos muito bem!

Outro ponto que acaba nos fazendo cair em tentação é aquela famosa palavrinha… compras. 😎 É quase impossível voltar para casa sem nenhuma lembrancinha. Se for uma viagem com o intuito realmente de explorar e não fazer compras, NÃO compre eletrônicos, apesar de ser mil vezes mais barato do que aqui no Brasil mas isso faria um rombo no orçamento.

O Bruno comprou sim, muita coisa, mas como ele precisa de equipamentos para trabalho, foi bem gasto, ou melhor, investimento bem feito, na Best Buy! 😀

Souvenirs tá ok, além de inevitável a gente deve sim trazer algumas coisinhas que nos façam lembrar e sorrir dessa experiência.

Prepare alguns dólares para gastar com souvenirs para família e um amigo ou outro bem íntimo (sempre acontece, não tem para onde correr rs).

Aconselho a ir para os EUA com uma mala só para que possa voltar com duas (viagem internacional do Brasil para os EUA e vice-versa é permitido até duas malas de 32kg, viagens domésticas dentro do país só é permitido 23kg).

Acredite, você vai acumular muita coisa lá então não compre coisas muito grandes ou muito pesadas pois você tem um limite de bagagem, a não ser que você esteja disposto a pagar pelos kgs a mais da mala.

Só queeeee… é caro, tá?! Hahaha… eu não sei quanto é exatamente por kg a mais mas sei que não é barato.

Uma maneira de mandar bastante coisa para o Brasil (e muita gente tem feito ultimamente) é colocar as coisas dentro de caixas grandes, caixas de papelão mesmo mas daquelas bem firmes, fechar e enrolar bem e enviar pelo correio. O valor de envio pelos correios vai ser mais barato que pagar os kgs a mais da mala, fora que cabe mais coisa. :))

Bom, por hoje é só! Gostaram?! Então continue acompanhando o blog porque tem novidades chegando aí.

Espero que as dicas tenham ajudado as pessoas que estão com dúvidas sobre o assunto. Passar informação de utilidade pública não custa nada, não é mesmo?! O gasto de uma viagem dessas não é baixo mas com certeza a experiência vale a pena, lembranças que ficarão pro resto da vida, já o dinheiro não levamos com a gente. Gaste mesmo, com aquilo que te faz bem e feliz. E viajar é uma delícia! Te traz renovada(o), você cresce profissional (meio que indiretamente) e pessoalmente. Talvez o pessoal seja mais importante que o profissional, pois você aprende a lidar com as diferenças das pessoas, os tipos de culturas diferentes. Aprende a aceitar e respeitar mais as regras, as leis, entende que o mundo não é preto e branco, ele é colorido e é lindo.

Independente das vantagens e desvantagens encontradas no meio do caminho, a bagagem que trazemos conosco é pesada mas positiva. E se você for voltar mais uma vez aos EUA, você já sabe exatamente o que fazer, aliás até melhor, apenas explore lugares novos.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>