Siem Reap: Quando e Como ir, Visto, Vaccina: tudo o que precisa saber antes de viajar

 Siem Reap é o portal da de viagem ao tempo, onde se viaja pra conhecer os templos milenares que fascinam a todos que vêm aqui e passam a ver de perto esse esplendor. Quem não quer, hein?! Então pra que isso aconteça, é importante saber como chegar, que moeda usar, e como se lomover, e claro, entre outros detalhes que preparei com carinho pra que você possa estar preparado pra fazer essa viagem que vai marcar!

        Leia tambem esse post completo de Siem Reap com dicas de hotéis, restaurantes e de atividades pela cidade

____Informações práticas_____

língua: Khmer é a língua oficial do Camboja, que é um país onde nas grandes cidades se fala inglês também, não como língua oficial, mas é comum.

moeda: A moeda do Camboja é o Riel Cambojano (KHR), mas a maioria dos lugares aceitam dólares. Podemos até dizer que a moeda mais comum é o dólar porque em qualquer lugar que vamos, até os preços estão em dólar. Mas se for a algum lugar bem no interior é bom ter cash em riel, e caso precise saber o câmbio em tempo real é só clicar aqui.

capital: A capital é Phnom Penh que também é a mais populosa do Camboja.

Religião: 95% da população do Camboja, hoje, pratica o Budismo, que é praticamente a religião oficial do país.

3 % da população é mulçumana, dividida em 2 comunidades diferentes: a Cham, e a Malay.

menos de 2% ficam divididos entre grupos tribais do próprio Camboja e Cristãos, onde tem até missionários tentando aumentar esse número.

E aí você se pergunta: “Mas e o Hinduísmo?!”.
Antes do Budismo, o Camboja era praticamente todo Hindu, digamos que era a religião oficial do Empério Khmer, sendo que em Siem Reap podemos encontrar o maior templo Hindu do mundo, o Angkor Wat, que é exclusivamente didicado a Brahma.

Mas uma curiosidade é que, mesmo o país sendo budista hoje, ainda tem muitos vestígios Hindus na religião, como casamentos, funerais e até a astrologia.

E uma outra coisa interessante é que os monges que vemos pelos templos, não são monges pra vida toda, a maioria são jovens – por que? Muitos não têm acesso à educação, mas os monges sim, têm direito, então acaba sendo uma alternativa, onde os jovens viram monges por um período curto de tempo e podem estudar e praticar a fé, sem ter que se devotar suas vidas inteiras como monges.

Cultura: A cultura do Camboja foi praticamente devastada por Pol Pot, na época do Khmer Rouge, mas hoje o povo Khmer ressurgiu com novas idéias pra poder fazer op país crescer novamente, ainda com toda a dificuldade financeira.

A arquitetura é uma assinatura que marcou e que nos enchem os olhos, por ser um exemplo sobrevivente e muito forte que mostra um símbolo Cambojano único, visto nos templos do complexo de Angkor.

Já a música típica do país é o pagode (não como o nosso pagode carioca) mas um estilo muito antigo de música que geralmente é apresentado nos templos chamados pagodes também.

Além disso tem algo super interessante, uma dança típica feita por mulheres, conhecida como Dança do Acasalamento local, que é a Apsara, onde as mulheres se vestem com trajes que lembram deusas Hindus e até mesmo egípcias.

Mas o que faz o Camboja ser único é a religião, que domina o território, de ponta a ponta vemos monges por todos os lados, e as pessoas levam bem a sério, pois até em casa elas têm algum cantinho reservado pra praticar o budismo.

Pronto, a melhor parte da cultura é a comida, e a cozinha Khmer arrebenta nesse quesito! São comidas tipicamente asiáticas mas com um toque khmer, que apenas provando dá pra sentir a diferença, e é mais atraente do que outras pela Ásia em geral.

Mas nada melhor do que um bom churrasco cambojano, esse sim, mostra que a cultura culinária é de dar água na boca!

Roupas:

Se você já se perguntou como se vestir para visitar os templos de Angkor, a resposta está bem aqui:

Primeira dica pra se vestir é: vista uma roupa leve porque aqui o calor é insuportável! Fora que visitar os templos, não é algo tão rápido, então pra estar leve e fresquinho, é bom ter roupas finas de algodão.

Mas é muito importante ficar ligado nas leis de vestuários: Principalmente mulheres, porque no calor, eu por exemplo, adoro shortinhos, mas aqui é proibido, tem que ser roupas que cubram os braços até os cotovelos e as pernas até os joelhos.

Também não são permitidas roupas que mostrem barriga ou as costas.

Isso vem de uma lei criada em agosto de 2016, algo recente, então fique ligado pra não sofrer as punições e multas.

______ Clima – Quando ir ? ______

O clima aqui é muito tropical, tendo meses mais quentes de novembro a março, sendo que no mês de fevereiro é considerado o mais quente, podendo a temperatura chegar a 55 graus em alguns pontos (mas normalmente chega a 40 ou 45 graus) e sem um dia de chuva, ou no máximo 1 horinha de chuva em 3 meses.

Já os meses mais chuvosos são de maio até setembro, onde chove mais da metade de cada mês e as temperaturas ficam entre 25 e 35 graus, dependendo sempre de onde esteja.

No final de tudo, eu recomendo que venha visitar Siem Reap em Janeiro, pra evitar o calor escaldante de fevereiro ou as monções do sudoeste, que causam as chuvas fortíssimas.

Como é um país de clima tropical, as temperaturas ficam em média 30ºC mas pode ir bem mais além em Angkor Wat, eu que o diga – mas a melhor época é entre Novembro e Março, durante os meses secos. Fora isso, podem ocorrer chuvas fortes pois entrarão em períodos de chuva

Temperaturas Siem Reap

____________ Visto _____________

 

 Leia tambem esse post completo de Siem Reap com dicas de hotéis, restaurantes e de atividades pela cidade

O visto pra entrar no Camboja é algo que pode assustar, pois é normal ficar assustado nessa hora, mas posso garantir que o Camboja é o lugar mais tranquilo da Ásia quanto a isso, e pra brasileiros, podem ficar despreocupados, brasileiros são bem-vindos aqui, sempre!

O Famoso e-Visa

Uma das opções de visto é o e-Visa, muito simples de ser feito por ser um processo 100% online (o e-Visa é feito exclusivamente online), simples e sem dor de cabeça, que pode ser feito de onde estivermos, basta termos internet – achei bem a cara da minha família, onde até o visto é digital.

Pra aplicar para o visto devemos pagar apenas com cartão de crédito* e o total sai a 40 dólares, contando com todas as taxas. Caso não vá mais viajar ou o e-Visa não for aprovado, o que é extremamente raro, o valor não é ressarcido.

*American Express e Discover, somente se forem cartões americanos.

O e-Visa tem validade de 3 meses mas desde o momento que se entra no Camboja ele dá o direito de ficar no máximo até 30 dias mas fica pronto em 3 dias úteis

Assim que for provado, ele vai chegar na caixa de e-mail e aí é só imprimir, pode ser preto e branco, mas deve estar legível.

Caso decida mudar de datas depois de já ter feito o visto, é só fazer clicando aqui.

Caso queira prolongar, aí é um pouco complicado mas é possível, pois deve se dirigir até o Departamento de Imigração da Polícia Nacional, que fica bem em frente ao aeroporto de Phnom Penh. O telefone 24 horas deles é 012 826 025. Deve levar o certificado do e-visa, passaporte, 2 fotos 3×4 e esperar 2 dias.

É importante saber que apenas alguns pontos de entrada no Camboja aceitam o e-visa, os principais como: aeroportos de Siem Reap e Phnom Penh, os portos vindos da Tailândia: Cham Yeam (Koh Kong), Poi Pet (Banteay Meanchey), Prom (Pailin)
E o porto vindo do Vietnã Bavet (Svay Rieng).

Fora esses lugares, não vão aceitar o e-visa.

Assim que chegar ao Camboja, é importante ir até à imigração, para mostrar o e-VIsa junto ao passaporte – quem tem dupla cidadania e mais de um passaporte deve ficar atento também porque o passaporte apresentado às autoridades deve ser o mesmo utilizado para fazer o e-visa.

É muito importante também levar 2 cópias no mínimo do e-visa, uma pra apresentar na entrada e outra na saída do país.

O melhor de tudo é que tem até aplicativo pra fazer o e-visa: Pra iOS e pra Android.

E se ainda tiver alguma dúvida é só entrar em contato direto com eles por aqui ou pelo e-mail: cambodiaevisa@evisa.gov.kh

Prontinho, agora é só seguir as regras e voilà, bem vindos ao Camboja!

Visa On Arrival

Agora, esqueceu, ou quer chegar chegando? :) Seja bem-vindo também e não se preocupe, não terá dores de cabeça, pois o visa-on-arrival é bem simples, só que é presencial. Ao chegar, há um balcão de visto, o Visa Clerk, basta ir até ele, mas isso é válido apenas paraos aeroportos das seguinte cidades:

  • Phnom Penh
  • Siem Reap
  • Preah Sihanouk

O valor é de 30 USD, essa é a taxa oficial,  então leve 30 dólares + 1 foto 3×4, mas se esquecer, como nós, lá vai 3 dólares, pois é o preço da foto!

Agora, lembre-se de que qualquer pagamento é feito apenas em cash! Então, fica a dica!

Visto Siem Reap Camboja

___________ Vacinas ___________

A saúde é uma preucupação geral no Camboja, não apenas uma vacina em si mas muitas doenças podem ser adquiridas, como a dengue e infecções alimentares, entre outras.

Caso precise de cuidados médicos é super e altamente recomendável que vá até Siem Reap ou Phnom Penh, pois são os únicos lugares com hospitais decentes e que podem oferecer medicamentos bons, além de ter aparelhos pra diagnosticar qualquer eventualidade.

As vacinas que são recomendadas a serem tomadas são: Tétano, Hepatites A e B e Tuberculose.

Agora, a vacina que é obrigatória ter tomado e comprovar logo ao entrar no país é a vacina contra a Febre Amarela.

Essa vacina é gratuita no Brasil e pode ser tomada nos postos da anvisa, onde vão dar um cartão comprovando que tomou. Se possível, peça logo lá o cartão internacional, eles dão, caso não dêem, pode levar o que receber e pedir o internacional no aeroporto antes de sair do Brasil.

Aviso: Apesar de não existir uma vacina contra essas doenças, lembre-se que no Camboja, os surtos de dengue e zika têm se alastrado muito. A Dengue pode ser fatal, enquanto a Zika não é tão selvagem, mas para mulheres grávidas ela pode afetar o bebê.

Utiliza muito repelente, pois além de muitos mosquitos, o Camboja possui esses tipos de doenças.

________ Transportes _________

Leia também esse post para saber quais são os melhores meios de transportes para conhecer os templos de Angkor 

Já vou logo começando a dizer que Siem Reap não é um lugar onde vamos encontrar um ponto de ônibus ou estação de trem ou metrô. O país ainda é muito pobre e o único meio de transporte público, o que não há, além de tuk-tuk, são os tuk-tuks.

Aqui tudo é na base do táxi ou tuk-tuk, e claro, até scooters e ainda se pode alugar bicicletas.

Pra quem quer mais comodidade pode contratar um motorista particular/guia.

Os tuk-tuks são aos montes em Siem Reap, é comum vê-los em qualquer lugar, tentando garantir alguém na garupa, mas é agradável e divertido andar neles, e até engraçado, porque quando você pensa que está tendo aquela brisa, vem a poeira nos olhos.

Também é muito comum ver tuk-tuks lotados, sim, fazem até lotação, eu vi, pareciam pau-de-araras.

A corrida sai em média 2 dólares mas pode negociar pra que eles levem você aos templos de Angkor Wat e até a alguns lugares bem locais.

Quem quiser pode alugar carros particulares, o que vai ficar em torno de 30 dólares, mas isso é pra quando estiver muito quente, porque o que vale aqui é aventura, então recomendo até uma magrela, sim, alugar uma bicicleta, por 5 dólares o dia todo e percorrer Siem Reap, mas cuidado com o trânsito.

Tá com pressa? Então desembolse 30 dólares e alugue uma moto que já vem com tanque cheio, e pode usar o dia todo.

Agora é só percorrer Siem Reap, à sua maneira.

tuk tuk siem reap camboja

_______ Como chegar _________

       Avião

Saindo do Brasil, é certo que haverão escalas, não tem saída, mas tudo bem, o importante é que dá pra chegar. As principais cias aéreas como AirFrance, KLM, Emirates e outras possuem voos, o que já garante uma viagem confortável.

Caso esteja vindo de dentro da Ásia mesmo, como nós fizemos saindo de Ko Samui, há opções de muitos catinhos também, e baratos!   As cias áreas da Bangkok Airways, AirAsia ou ainda Cambodian Angkor Air oferecem  voos low-cost saindo da Tailândia mas também de vários outros países vizinhos.

Escolhemos viajar de Ko Samui para Siem Reap mas existem dezenas de cidades fazendo o trajeto até Siem Reap.

Saindo do aeroporto, eu recomendo pegar um táxi do aeroporto até o centro, o que é bem rápido e barato e pegando um do aeroporto é mais seguro.

      Ônibus Tailândia – Camboja

Não é uma tarefa lá das mais simples sair de Bangkok até Siem Reap. Normalmente se pegam várias opções, pegando van em Khao San Road até uma cidade chamada Poipet, trem, tuk tuks, isso sem contar na dor de cabeça na fronteira, mas não é o menor dos problemas porque no meio do caminho ainda tem muitos esquemas pra tirarem dinheiro de você.

Nunca houve ao certo um trecho organizado pra se chegar até Siem Reap, pra quem gosta de uma aventura HardCore, eu recomendo, mas se não é o que está buscando, vai sair mais caro do que avião, não em termos financeiros, talvez sim.

Porém recentemente o governo abriu uma possobilidade ótima com a cia. Transport Co./Nattakan, que faz o trecho direto e com conforto, além de wifi e ar-condicionado pra nos esticarmos nas poltronas confortáveis.

A viagem tem duração de 10 horas mas vale muito a pena viajar com essa companhia. Os valores variam mas ficam em torno de 30 USD. Para comprar as passagens, é só clicar aqui e comprar online sem nenhuma dor de cabeça.

Ônibus Laos – Camboja

A viagem de ônibus do Laos para o Camboja era simplesmente a pior experiência que alguém poderia passar, por ter que passar até 30 horas na estrada, trocando ônibus e van, caronas e outros meios.

Além disso, ainda tem os golpistas que ficam preparados pra “receber” os turistas e cobrarem taxas abusivas pra conseguir vistos, ou taxas “inventadas” e aí, não há outra saída.

Mas agora, já dá pra perceber que tudo está mudando no sudeste asiático, e pra quem quer ir de ônibus do Laos até o Camboja, tem opção, e uma ótima opção!

2 empresas, uma do Camboja (Phnom Penh Sorya Transportation) e outra do Laos (Sengchaleun), agora fazem um trajeto em parceria, possibilitando um trajeto seguro, confortável e com apenas uma parada.

A saída é no terminal rodoviário de Vientiane, e passa por Pakse, indo em direção a Siem Reap e terminando o longo trajeto em Phnom Penh. A viagem dura 7 horas até Siem Reap e 13 horas até Phnom Penh.  Mas lembrem que é uma estimação de tempo que sempre quase dobra :-)

Todos os ônibus são VIP’s, ou seja, executivos, dando conforto total, muito mesmo, pois até tomada eles têm pra laptop ou celular, banheiro e claro, wi-fi, que aí nem sentimos a viagem longa :)

Claro que deve estar pensando “mas e o visto?”. A parada feita na fronteira é super tranquila, onde serão dados formulários para serem preenchidos, e aí é só seguir viagem.

Ônibus Vietnã – Camboja

Sair do Vietnã para o Camboja, parecia ser a coisa mais complicada do mundo, mas foi facilitado também, mesmo por terra.

Fizemos o trajeto Phnom Penh -> Ho Chi Minh de van exclusivo, confortável e com conexão wifi.   Lembro ter pago muito pouco para a qualidade do serviço fornecido.   Foi tão bom que na fronteira com o Vietnã, fomos parados. Nós ?  Na verdade foi o Bruno que pararam por estar sem Visto.

Em Ho Chi Minh há um terminal, onde se pode embarcar em ônibus que vão até Phnom Penh. O terminal fica em Pham Ngu Lao Street, 10 km do aeroporto internacional de Tan Son Nhat International Airport.

Os horários de sáida são entre 7h00 e 15h00, normalmente a cada 1 hora, mas é bom ver o seu horário de saída e estar no terminal ao menor uns 20 minutos antes.

A viagem leva entre 6 e 7 horas de estrada, claro, sem contar o tempo de espera em Moc Bai e Bevat, que vou explicar.

O preço é um dos melhores, pois só custa por volta de 10 USD, o que é ótimo! Além disso há empresas diversas, todas muito confortáveis, equipadas e bem servidas.

Os ônibus têm até comissários de bordo que vão pegar os passaportes de todos os passageiros pra poder dar de uma só vez para à imigração na fronteira, em Moc Bai, o que é mais rápido, evitando filas, então não estranhe, é super comum.

Chegando em Moc Bai, todos saem do ônibus pra esperar que a imigração estampe todos os passaportes, o que leva uns 30 minutos em média.

Assim que terminaren, vão chamar um por um, pelo nome, esteja atento, e na hora de entrar no ônibus novamente, fique atento de qual é o seu, pois podem haver outros muito parecidos.

Uns 300 metros depois, você chega à imigração Cambojana, já em terrotório cambojano, na cidade de Bavet. Aqui, nós mesmos apresentamos os passaportes.

Chegando em Phnom Penh, você irá descer em Preah Sihanouk, se viajar com as cias. Kumho Samco ou SAPACO mas se viajar com as cias. Giant Ibis ou Mekong Express, irá descer em Sisowath Quay.

As estradas são super bem pavimentadas, então a viagem é bem tranquila, e aí é só chegar no Camboja e aproveitar!

    Angkor esta na sua Wishlist ?

  1. Eu simplesmente AMEI o Camboja, achei o Angkor Wat e demais templos sensacionais, uma energia incrível e única! Mas o calor é de matar mesmo, fui em abril e peguei de 40 a 42 o tempo todo! Uma pena ter ficado internada em um hospital de lá por 2 dias devido a uma infeccão alimentar feeeia e pesada que peguei no meu ultimo dia em Phi Phi/Tailândia, mas consigui pelo menos conhecer os templos! E valeu demais!

    • Familia Sem Fronteiras says:

      Ficou internada em Siem Reap ? Ixi ! Intoxicação alimentar ! Por sorte, peguei nenhuma e comíamos bastante na rua. Quando tinha carra feia, nem comíamos a comida e iríamos comprar outra. Lado bom da comida à nem 10 reais :-)

      quanto ao calor, era insuportável ! Nem queríamos mais sair da sombra dos templos KK

  2. Adorei o post!! Muito bem detalhado e adorei as informações iniciais. Elas são muito bacanas para aproximar o viajante do local que pretende conhecer!
    Estou indo pra Tailandia e infelizmente não conseguirei conhecer Camboja, mas com certeza ainda tá na lista!

    • Familia Sem Fronteiras says:

      Que legal Luiza !
      Quanto tempo ficara na Tailandia e por onde ira ? Viu que no blog tem uns 8 post SO sobre a Tailândia ?

    • Familia Sem Fronteiras says:

      O Camboja é incrível. Alias,os países asiáticos são incríveis. Cada um com sua especialidade e sua cultura.
      Sou suspeita em falar pois adorei cada dia dos 150 dias pelo continente

      Ja foram para la ?

  3. Uau! Quantos detalhes no seu post. É realmente um passo a passo para não entrar em furadas e viajar consciente do destino. Pensamos em colocar Camboja quando fomos para Tailândia, mas achamos que ficaria apertado para os 20 dias de férias. Mas é um lugar muito rico em cultura e quero conhecer ainda, com certeza! E vou seguir suas dicas maravilhosas quando for. Beijos!

    • Familia Sem Fronteiras says:

      Ja foram para Tailandia ou planejam ir ?
      Acredito realmente que 20 dias é pouco para dividir a viagem entre os dois países. Ficamos 30 dias na Tailandia e ainda achamos pouco para conhecer bem. Os brasileiros costumam ir ate Siem Reap em bate volta mas acabam perdendo mais tempo que aproveitando dos lugares pois ficam correndo atras do tempo e das curiosidades, esquecendo que a ideia da viagem é de curtir :-)

  4. sou fascinado pelos templos milenares. Publicação muito completa com informações relevantes para quem quer visitar o local 😉 Muito interessante a informação sobre os jovens se tornarem monges para estudar!

  5. Amei o relato e curiosidades sobre o Camboja. Com certeza está na nossa lista somado à Tailândia e suas dicas serão valiosas para o nosso planejamento. Parabéns pelo post.

  6. Ainda não conhecemos Camboja e adoramos as dicas super detalhadas, pois quando vamos para um lugar desconhecido sempre surgem essas dúvidas, vacina, roupas, clima, etc… estamos programando uma viagem para conhecer melhor esse lugar… parece incrível!!!

  7. Uau! As melhores dicas graças a Familia Sem Fronteiras. Vocês arrasam! O post está super completo. Já anotei tudo e coloquei nos meus favoritos! Obrigada pelas dicas.

    =)

  8. Que demais! Adorei as informações.

    Quando li pagode tomei um susto hehehe.

    POxa, ia imaginar que comer por lá devia ser difícil, que bom saber que não! Aguei com esse churrasco.

    Beijokas,

    Carol & Thiago
    @melhorcomvoce

  9. Nossa, esse post está tudo de bom. Parabéns, uma bela escrita, realmente prende o leitor. Sem contar nas dicas maravilhosas que colhemos durante a leitura. Continuem assim, nos alimentando com estas dicas e experiências vividas.

  10. Débora (Vamos de Mochila Br) says:

    Nossa, que legal! Adorei saber um pouco mais sobre a cultura e costumes desse lugar! As informações de visto e vacina também são muito úteis! Tudo o que precisamos saber em um único post, muito bom!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>