Documentos, remédios: O Que Levar em uma Viagem com Criança

É realmente ótimo viajar com as crianças e levar coisas legais conosco na viagem. Lembrar de comprar carrinho, brinquedos e guloseimas e, eu principalmente sei que é importante levar tudo o que se precisa pra casos de emergência.

Às vezes na pressa, muita gente acaba levando coisas que não precisam e aí, já no meio da “estrada” lembram do que seria necessário.

Por isso é importante lembrar com antecedência de juntar todos os documentos, passagens e deixar tudo ao alcance fácil das mãos.

Mas é importante saber que devemos levar o que realmente importa como nossos documentos e principalmente os documentos das crianças.

Em uma viagem, que seja nacional ou internacional, o mais importante são os documentos. Aqui como somos uma família de dupla nacionalidade, eu francesa, Bruno brasileiro, os nossos filhos têm documentos que crianças brasileiras não precisam sempre.

A cada vez que viajamos com a família toda, junto com o Bruno, eu sempre levo passaporte de todo mundo, porque passaporte é o que mais é válido nas viagens internacionais e eu levo os cadernos de vacinas porque as crianças já têm as vacinas, todas que podem ser feitas pra crianças dessa idade: febre amarela, hepatite, tuberculose,  tudo o que imaginar de vacinas, os meus filhos já têm.

Já fomos pra Ásia, África, América do Sul – são partes do mundo onde existem doenças que não existem mais na França e então tínhamos que dar essas vacinas por conta da possibilidade de encontrar essas doenças. Pode até parecer desproporcional, mas sabemos que hoje as vacinas podem prevenir doenças gravíssimas. Recentemente, em outubro de 2017,  uma criança francesa voltou do Sri Lanka com raiva e morreu.  

Então, eu sempre levo passaporte, caderno de vacina, que é importantíssimo, para criança e adulto, todo mundo precisa de caderno de vacinas, ainda mais quem é brasileiro porque a maioria dos países no mundo pedem a vacina da febre amarela aos brasileiros ou pessoas transitando pelo Brasil. 

Lembrar de roupas, tanto pra frio e calor é importante mas é primordial ter os documentos certos, principalmente em viagens internacionais ou até mesmo em uma conexão inesperada onde devemos apresentar documentos.

Pra não ter esse problema decidi dar umas dicas já que passei por muitos aeroportos com muitas malas, crianças, documentos e peso nos ombros  🙂

    Documentos | Quais  Precisamos?

vários documentos que são necessários pra levarmos para os nossos pequenos. No meu caso, como as crianças são francesas, o que MAIS precisam é do passaporte e como o Bruno é brasileiro, eles têm livre acesso ao Brasil. 

Além disso tenho um caderno chamado de ‘ livret de famille ‘ que a França dá para as famílias, onde tem a minha identidade, a identidade do Bruno, que é pai, e dos nossos filhos. Isso é pra comprovar que são meus filhos e as suas filiações.

Quando eu fiz os passaportes da Ella e do Noam, começamos a viajar internacionalmente de avião com as crianças tendo 1 mês de nascimento. Então, quando apliquei para o processo de passaporte as crianças tinham apenas 10 dias de nascimento nas fotos e, de 10 dias pra 3 anos, a criança muda muito.  Os funcionários da imigração, no aeroporto, nem sempre vão saber que é a mesma criança, e já teve gente falando que a foto não era mais válida – como reconhecer a Ella hoje com 3 anos em uma foto onde tinha 10 dias? Apesar de ter um passaporte válido. Na dúvida tenho que “comprovar” que meus filhos são meus filhos.

Então a única maneira que achei de comprovar isso foi no caderninho  “Livret de Famille”. É que no passaporte francês não está escrito a filiação (exatamente como no brasileiro), não tem escrito quem é o pai ou a mãe; então levo esse caderno que comprova de uma certa forma que sim, somos os pais dos nossos filhos. 

Enfim, documento importante, ainda mais importante pra família onde os pais são separados – importante um documento assim – atestado que deixa a criança viajar com o outro genitor, seja pai ou mãe.

Já aconteceu comigo, de quase ser barrada saindo do Brasil indo pra França porque o Bruno não estava comigo. Eu fiquei na imigração, sozinha, esperando meia hora e quase perdi meu voo, com a Ella chorando de fome. Ela tinha uns 8 meses, eu estava grávida e a moça não me deixava ir porque o Bruno não estava comigo para comprovar que a viagem fora do Brasil era aceita pelo pai também. Então, ela teve que fazer uma busca no site da polícia federal para provar que eu não estava roubando minha própria filha. Isso é muito importante, não somente pra casais como eu e o Bruno que somos multiculturais mas também pra pais brasileiros separados.

É importantíssimo ter esse documento. Pode ser que venham a pedir e pode ser que não venham a pedir porém lembrem de sempre ter: passaporte, caderno de vacina,  algo que comprove a filiação, e mais algum papel caso os pais sejam separados ou em uma viagem sem o outro responsável legal.

 

Na Europa, podemos viajar livremente por todos os lados como sempre fazemos, indo pra Barcelona na Espanha ou até mesmo pra Noruega visitar a mãe do Bruno, e em todos esses lugares podemos ir normalmente com nossos documentos franceses pois estamos dentro da Europa e do espaço de Schengen. Já, aqui, no Brasil é diferente para crianças brasileiras, e até mesmo viajando para o exterior, tudo isso tem lá suas regras.

      Em Viagem Nacional

Pra crianças que vão viajar dentro do país, só precisam do RG ou até da certidão de nascimento original. Porem é bom lembrar que se aceitam, na maioria das vezes a comprovação com a certidão, mas existem lugares que podem não aceitar a certidão por não ser um documento com foto, a não ser que seja um bebê com os pais.   

Qualquer menor de 12 anos precisa de autorização escrita e autenticada em cartório pelos pais para poderem viajar caso não estejam com os pais, ou seja, amigos e até mesmo familiares.

      Viagem no Mercosul

Para crianças brasileiras com os pais (muito importante isso), qualquer um pode viajar apenas com a identidade, desde que ela esteja legível e em bom estado de conservação.

As crianças devem ter identidade, pois devem ser documentos com foto para comprovarem melhor quem são.

Se viajar apenas com um dos pais, é extremamente necessária a autorização do outro genitor, e não adianta esquecer, pois isso pode complicar a viagem, ou seja o pai ou a mãe podem até serem barrados. Falei disso mais acima. Lembra? 

      Viagem Internacional (Além do Mercosul)

Viajar para outros países com os filhos é ótimo, poder mostrar outras culturas e fazer com que eles possam conhecer o mundo sem barreiras, sem diferenças, aprendendo a respeitar as diferentes características de cada lugar.

Além disso tudo, é muito bom pra uma criança poder aprender novas línguas e conhecer novos sons, sotaques, músicas e até diferentes paisagens.

Nossos filhos têm a sorte de poderem viajar o mundo, e os dois já viajam desde quando estavam na barriga. 

A Ella, esses dias chegou pra mim e disse “mamãe, quero percorrer o mundo…”, ou seja, já está no sangue dela ser livre e querer estar em lugares diferentes, como já estivemos nos Estados Unidos, na Tailândia, Indonésia, Turquia, Peru, enfim, tantos lugares que enriquecem a personalidade deles e abrem a mente pra que sejam cidadãos do mundo.

 

Já pra crianças brasileiras o passaporte também é um documento válido para o mundo, desde que seja checada sempre a validade, pois dura de acordo com a idade, entre 1 e 5 anos de idade.

Mas vamos lá, quais são os documentos necessários para aprensentar esse mundão para as suas crianças?

Documentos Necessários

É importante levar o máximo de documentos possíveis. O passaporte é primordial mas como não há os nomes dos pais, é melhor estar sempre acompanhado com a identidade para se ter um documento oficial provando o parentesco.

Se a viagem for com os pais, tudo bem, os próprios passaportes irão mostrar os sobrenomes então não vão pedir tanta burocracia nesse caso.

Se a viagem for feita com amigos ou parentes é preciso de autorização em cartório com assinatura do pai e da mãe, e apresentar na saída do aeroporto aqui todos os documentos como passaportes, identidades e autorizações, tudo original.

Essa regra é bem clara e por isso é importante lembrar que até os 17 anos, para viagens internacionais é necessário seguir esse tipo de burocracia.

 

  • Se for amigos ou parentes
  • certidao original ou copia autenticada
  • cartao de vacinação
  • cartao plano de saude

 

A dica que eu dou mesmo pessoalmente é que esteja sempre com os documentos em mãos como passaportes, RG, certidão de nascimento para os bebês, sendo que haja cópias autenticadas e até as cópias onde servem só pra termos os dados.

E por último é sempre importante também verificar se o país de destino precisa de visto, isso é extremamente importante, além de vacinas específicas necessárias que não podem faltar.

   

    Saúde, Médico & Emergência

O que sempre levo é o caderno de saúde, isso sempre na bolsa de mão porque a qualquer momento, qualquer coisa pode acontecer e eu possa vir a precisar.    

Passaporte, caderno de vacina e filiação podem ser pedidos a qualquer momento da viagem dentro do aeroporto mas também a autorização de viagem feita pelos pais quando se viaja sozinha. Eu deixo sempre esses documentos na minha bolsa, que me acompanha ao longo da viagem. Nessa bolsa, eu também sempre levo o caderno de saúde da Ella e do Noam. Esse caderno de saúde é um tipo de caderno que recebemos após o nascimento dos nossos filhos onde está registrado o histórico completo do que aconteceu na vida da criança. Se já ficou doente, internada, tudo esta lá,e sempre levo na bagagem de mão:

 

1 – Porque os meus filhos, como os filhos de qualquer um podem ficar doentes entre o aeroporto e o hotel, podem ter qualquer coisa e com esse caderno eu mostro pelo menos o que já aconteceu com eles, com todos antecedentes, tudo pra comprovar.

 

2 – Porque se perdem minha mala, perdem isso. E o caderno de saúde é muito importante na vida dos filhos.  

 

Daí, também levo, quer dizer, eu levava os exames feitos recentemente. Já viajou com um filho doente ou que teve antecedentes médicos? Até os 6 meses do Noam, eu levava o ultrassom dos rins do Noam que nasceu com uma má formação do rim esquerdo. Essa má formação foi constatada enquanto eu estava ainda grávida e ao seu nascimento tivemos a confirmação que o rim tinha que ser controlado até o primeiro ano. Nada de grave. Só podia causar infecção e devíamos ficar de olho em qualquer sinal de doença: febre, dificuldade a urinar… Aos 4 meses, em Jericoacoara, o Noam acordou com muita febre e manchas vermelhas no corpo. Com o Bruno, nós o levamos para o hospital e apontamos o possível responsável. O ultrassom foi, com o caderno dos antecedentes médicos, a primeira coisa que pediram os médicos.

Se seu filho for viajar com alguns problemas de saúde, mesmo pequenos e sem gravidade, pense em levar o seu caderno de saúde E os exames – recentes-  que foram feitos.

      Pediatra e Remédios 

Se possível, é importante levar os filhos ao pediatra antes da viagem e de preferência ao que sempre acompanha a criança.

Isso pra falar para onde vai e assim ter os cuidados que podem ser tomados, caso haja alguma coisa que precise de mais atenção. Antes de sair da França, eu sempre consulto o pediatra da Ella e do Noam para ver se crescem bem e para ter certeza que estão em ótima saúde. É a oportunidade de fazer um check-up do corpo deles e ter um apoio a mais. É também o momento de rever se estão em dia com as vacinas e no desenvolvimento motor. 

Ao viajar é sempre bom levar o contato do seu pediatra, pois mesmo em médicos locais, é importante ter opinião do médico que conhece bem o seu pequeno e seus hábitos. Na Tailândia, a Ella tomou um picada de água-viva e o primeiro médico que liguei foi o meu. Foi também o que fizemos quando na Indonésia, ela pegou rubéola. Nesses tipos de ‘acidentes’, apesar de estarem cercados por médicos que falam inglês e provavelmente muito bons nas suas especialidades, não têm mais … que ouvir do seu médico que está tudo bem.   

 

Antes de qualquer viagem internacional, eu sempre separo os remédios que eu sei que possa precisar com meus filhos: Paracetamol, Ebuprofene, remédio para diarréia, solução salina e remédio para a hidratação rápida em caso de diarréia forte. Nunca precisei dar qualquer remédio em uma viagem porém sei que as crianças podem ficar doentes em qualquer lugar e momento, e estarmos em um lugar onde a farmácia não tem o remédio e as dores aumentarem.      

De qualquer forma é muito importante estar prevenido que uma doença ou acidente pode chegar a qualquer momento e sem avisar. Em Agosto passado (2017), o Noam ficou internado 4 dias na UTI  em estado grave e mais 7 na enfermaria. Na época, estávamos sem seguro de viagem e menos ainda plano de saúde. Para a vida do nosso filho, todos os tratamentos foram feitos no melhor hospital da cidade onde estávamos até então. Isso sem falar que o tratamento custou horrores e que um seguro de viagem iria ser bem vindo nessa hora. Conto mais nesse post.

Como se prevenir? Se vai viajar, não deixe de tomar essas precauções que eu expliquei acima e Faça um Seguro Viagem! O seguro pode ser tão útil e evitar dores de cabeça que não desejo pra ninguém, e isso você está lendo de alguém que passou o maior susto com o filho.  

Veja também: Por Que Viajar Apenas se Tiver um Seguro

    Para Completar a Mala

É claro que vai ter muito mais do que isso pra se levar na mala de mão, ou a bagagem de mão, não ligue, sou francesa e acabei fazendo meu próprio português! 🙂

Limpeza e higiene dos meus filhos são prioridades pra mim e por isso estou sempre preparada, além de que precisam sim estarem distraídos, pois pegar um voo longo com os dois gritando e chorando no meu ouvido, não dá, e cá pra nós, criança tem mesmo é que se distrair e se divertir. 🙂

E claro, alimentação que é algo que priorizo muito, não me importa se vou andar com cachos de bananas e uma mala de maçãs, se é pra alimentar bem os meus filhos, eu ando sim, pois são minhas prioridades!

      Higiene e Cuidados Comuns

Na minha bolsa de mão vai também fraldas e lenços. Normalmente, em uma viagem de 12 horas, você vai trocar seus filhos umas 3 vezes mas é bom ter mais de 3 fraldas na bolsa, pode ser que faça cocô mais de 3 vezes, e vai precisar trocar. Oh se vai!   

Também, eu sempre levo 2 calças, 2 camisetas (duas porque um acidente de xixi chega rápido, né?!) ,meias e um moletom porque dentro do avião fica muito frio. O ar é muito forte e se a criança estiver apenas de camiseta a criança passa frio e chega doente, ainda mais quando se sai de um lugar quente pra outro que é frio, ou do frio pro muito quente.    

Alimentação | Crianças Comem e Não Esperam

Quando a criança é pequena e já comendo papinha, é bom os pais levarem umas papinhas industriais. Que seja a favor ou como eu totalmente contra, durante uma viagem longa – ou mesmo curta – é importantíssimo ter comida pronta, debaixo da mão, para poder alimentar seu filho. Sempre fiz as minhas próprias papinhas com o babycook., uma maquina fantástica, e infelizmente, na viagem, a papinha estraga.

Ja tentei viajar com as papinhas feitas pela mamãe com alimentos saudáveis, sem sal nem conservantes. E sabe?  As papinhas estragaram na viagem para o aeroporto e foi um desastre.  A Ella chorando de fome, a gente barrado na imigração, um bebê querendo só comer e papinhas estragadas na minha mão. Por sorte, eu tinha acabado de correr na farmácia do aeroporto para comprar umas papinhas salgadas e doces para passar a viagem com comida adaptadas para um bebê de 9 meses que ainda não comia pedaços grandes.


Por que ter? Por que criança tem fome, já adulto consegue segurar a fome dentro do avião ou até achar um starbucks pra comer um doce ou salgado.


Também, quando amamentava, ou estava no fim, sempre levava comigo um leite pequeno tipo todinho sem o chocolate, mais uma mamadeira cheia porque criança gosta de leite antes de dormir. Levava água e umas bolachas, porque criança não consegue esperar a aeromoça dar almoço ou refeição , o que acontece só após longos minutos. Então sempre tenho na bolsa uma banana, um salgadinho e até um biscoito de maizena.
Claro que dá para tirar os alimentos da bolsa e viajar com menos peso. Claro que dá para comprar tudo isso dentro do aeroporto, da estação de trem ou ainda esperar embarcar. Porém, já sei por experiência própria que uma criança com fome é uma criança estressada que acaba chorando por tudo e por nada. Minha dica valiosa é de sempre – SEMPRE – ter algo para comer na bolsa. 

 

Como Distrair as Crianças | Brinquedos

Sim! na minha bolsa de mão tem também brinquedos. Na verdade minha bolsa de mão são 2 bolsas pesadíssimas.  Sempre levo uns livros, canetas pra colorir, um caderninho, folhas, papéis, sei lá, o que a criança gostar. Já levei um computador de criança, aqueles que fazem músicas. Ou o Bruno põe algum desenho pra eles e eu levo qualquer coisa que eles gostem, bonecas, carrinhos ..   Mas não imagine que pego toda a casa. Eu pego apenas alguns brinquedos, só pra passar um tempinho, sabendo que eu sempre viajo na hora da soneca deles e que precisarei bem pouquinho.

Veja também: Como Superar o Fuso Horário Com Crianças | Dicas Infalíveis

Acabo por não precisar muito, mas na espera do avião no aeroporto pode ser que sirva e às vezes é sempre bom ter uma toalha pra colocar no chão pra criança brincar.

E daí, já que minhas 2 bolsas de mão são super pesadas, eu levo na mala o que acho importantíssimo, é que mesmo que se formos pra algum lugar de praia e que normalmente faça uns 35 graus e que se viva de biquíni o dia todo, eu sempre levo moletom, alguns pares de meias, porque o tempo pode mudar, e que o vento pode deixar o filho doente, andando no chão sem meia, um casaco de chuva e também repelente, porque nem sempre queremos ir à farmácia comprar um repelente, e daí você terá tudo isso, e daí é só aproveitar a viagem.

Essas foram algumas dicas pra que você não tenha problema na hora de embarcar com os pequenos, e aí, o que achou? Alguma sugestão ou experiência? Compartilhe comigo aqui nos comentários! Afinal, histórias de mães sempre servem de lição!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>